Obras mais rápidas, limpas e sustentáveis. Com um considerável leque de vantagens sobre as edificações de alvenaria, os sistemas construtivos steel frame e wood frame começam a impor sua presença em projetos residenciais, do alto padrão às habitações sociais

STEEL FRAME
Com grandes vãos e balanços generosos, esta casa de steel frame em Campinas, SP, comprova que a tecnologia pode ser aplicada a qualquer tipo de arquitetura.
As construtoras, os operários e os moradores não são os únicos a tirar proveito dos benefícios dos sistemas steel frame e wood frame – os arquitetos também são favorecidos. “Esses métodos industrializados permitem um controle muito maior do projeto, reduzindo drasticamente a margem de erro”, diz o arquiteto Fabio Muzetti, da Muzetti Arquitetura e Urbanismo, responsável pela casa da foto acima, de steel frame. “A construção de uma residência como esta, em média, leva metade do tempo de uma feita de alvenaria, com custo semelhante”, exemplifica Henrique Alfonsi, diretor da Alfonsi Steel Frame, que executou o trabalho. “Tudo começa com uma maquete 3D, feita com tecnologia BIM, que contempla todas as etapas da obra. Isso evita incompatibilidades dimensionais, responsáveis por atrasos. Essa versão tridimensional gera um manual de montagem e uma lista de materiais, o que eleva a precisão das peças e do orçamento”, completa. Outra vantagem, de acordo com o arquiteto Rutherford O. Ocampo, diretor-presidente da Zárya Arquitetura e Engenharia, é a facilidade de passagem e manutenção de instalações elétricas, hidrossanitárias, de gás, ar condicionado etc.
Detalhes da estrutura:
Os painéis que compõem as paredes de steel frame são formados por perfis metálicos com diversas camadas.
WOOD FRAME
Esta residência sustentável em Vinhedo, SP, com 390 m², foi erguida em apenas dez meses com wood frame.
A casa acima foi erigida sob os preceitos da arquitetura bioclimática, integrando sustentabilidade e construção. Além de captar luz solar e água de chuva para seu abastecimento, ela foi desenhada para receber alta incidência de claridade natural, complementada, quando necessário, pela iluminação inteiramente de led. Seus 390 m2 ficaram prontos em dez meses, levantados com wood frame pela Tecverde Engenharia. “Num processo convencional, tomaria cerca de dois anos para ser concluída”, compara o arquiteto João Paulo Generoso, da Atos Arquitetura, responsável pelo projeto. Semelhante ao steel frame, esse método industrializado troca os perfis de aço pelos de madeira. “O wood frame é mais ecológico e gera maior conforto térmico e acústico. Também oferece mais resistência contra incêndio, pois a madeira é isolante e resiste a altas temperaturas”, defende Pedro Moreira, diretor de engenharia e sócio da Tecverde, que contabiliza mais de 100 mil m2 construídos com esse sistema no país. Outro diferencial relevante, segundo João Paulo, “é a maior facilidade para comprar madeira do que aço no Brasil. A mão de obra também é mais acessível para o material”. O tempo de obra, no entanto, é o mesmo. “A montagem de uma habitação social de 45 m2 dura cerca de duas horas, com uma equipe de quatro ou cinco pessoas e o auxílio de um guindaste”, aponta Pedro. As áreas molhadas, preocupação de quem pretende investir numa residência do tipo, não correm risco de sofrer infiltrações, pois o conjunto é impermeabilizado. Além disso, qualquer projeto pode ser adaptado para o wood frame, desde que possua até quatro pavimentos. “Esse é o limite para a tecnologia disponível no Brasil”, diz Pedro.
Detalhes da estrutura:
A racionalização das etapas dos projetos de wood frame diminui as margens de erro e aumenta o controle de qualidade, gerando menos desperdício e resíduos