Estruturados em light steel framing e içados prontos a uma altura de quase 10 m, “sótãos voadores” conferem velocidade construtiva e economia a condomínio residencial no Rio Grande do Sul

As peças foram montadas sobre uma espécie de “cama” construída em frente à casa que receberia o sótão para, após essa etapa, serem içadas até sua posição final

As estruturas em light steel framing que compõem o sótão foram produzidas em fábrica e transportadas por 40 km, de Novo Hamburgo até o local da obra, em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul

No condomínio Terrara, em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, o sótão das 178 casas que compõem o projeto estão sendo construídos utilizando um engenhoso processo. Concebidos para execução em light steel framing, foram produzidos e parcialmente montados em fábrica, transportados por 40 km, finalizados em canteiro e colocados sobre os sobrados em alvenaria para agilizar e conferir um melhor custo-benefício ao empreendimento. Com a tecnologia, batizada como Sótãos Voadores pela Melnick Even, a entrega do conjunto será antecipada em até nove meses, segundo os responsáveis pela obra, que deve ficar pronta no fim do próximo ano. “Pelo processo convencional, levaríamos 35 dias para montar uma dupla de casas e não apenas cinco dias trabalhados. O sistema industrializado trouxe ganhos como redução em despesas indiretas, vantagens em termos de mão de obra e, também, sustentabilidade, pois não utilizamos nenhuma gota de água para fazer 50 m2 de área construída”, explica o engenheiro Willians Amaral, da Melnick Even.

Os sótãos estruturados em light steel framing foram revestidos em siding vinílico, receberam telhas shingle na cobertura e foram içados por guindaste a uma altura de quase 10 m. “Eles foram montados a 1 m acima do solo e erguidos por 9 m de altura sem a utilização de andaimes fachadeiros, blocos de concreto ou argamassa, elementos que dificultariam a logística, armazenamento e a execução do último pavimento das moradias”, comenta o profissional, que reforça as vantagens desse tipo de solução. “Ele é ideal para residências, comércios e indústrias cujos projetos apresentem repetições, dificuldades arquitetônicas ou necessitem de ganhos de prazo.”

Cada residência do Terrara Porto Alegre foi idealizada com dois andares, sótão, duas vagas de garagem e área total entre 193 m² e 327 m². Enquanto os dois primeiros pavimentos foram projetados em alvenaria estrutural de blocos de concreto e lajes pré-moldadas de vigota/tavela, os sótãos foram dimensionados em light steel framing com tamanhos distintos, em módulos de 10 x 12 m, 10 x 24 m e de 10 x 26 m.

Segundo a Melnick Even, apenas 13 pessoas foram necessárias para o acompanhamento do projeto. Em 2015, os Sótãos Voadores ganharam destaque ao faturar a medalha de prata da categoria Destaques Tecnológicos do Sinduscon Premium, prêmio promovido pelo Sinduscon do Rio Grande do Sul. (E.Q.)

“Como os sótãos são pontos de difícil execução em função dos detalhes, da geometria e altura, optamos pelas estruturas em light steel framing para os mesmos. Esta foi a maneira encontrada para facilitarmos a execução da obra e, ainda, acelerar a produtividade no canteiro.”

Ficha Técnica

Projeto arquitetônico: Roseli Melnick
Área construída: 26.392,28 m²
Aço empregado: NBR 7008 ZAR 345 e NBR 7008 ZAR 275
Quantidade de aço: 241 t
Projeto estrutural: Imecon
Fornecimento da estrutura de aço: Imecon
Execução da obra: Melnick Even
Local: Porto Alegre, RS
Data do projeto: 2014-2017
Conclusão da obra: 2017

 

Fonte: CBCA